Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.


Neste blog só se publicam desenhos feitos de observação e no sítio

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Encontro em Caminha - 10 de Março

No dia 10 de Março, sábado, pelas 11 horas está marcado um Encontro Urban Sketcher em Caminha no Largo do Terreiro.

Este Encontro está inserido no ciclo “Sketching com História” * que o CIM (Comunidade Intermunicipal do Alto Minho) nos desafiou, aos USkP e USkPNorte, a organizar.

Neste ciclo haverá um Encontro por mês em cada uma das 10 localidades do Alto Minho, com o seguinte calendário:

10 de Março em Caminha
 7 de Abril em Monção
 5 de Maio em Ponte de Lima
16 de Junho em Ponte da Barca

22 de Setembro em Valença
20 de Outubro em Melgaço
17 de Novembro em Viana do Castelo
15 de Dezembro em Arcos de Valdevez

12 de Janeiro  em Paredes de Coura
 9 de Fevereiro em Vila Nova de Cerveira

Oferta aos participantes de: Almoço e transporte (ida e volta) de camioneta (esta parte do Porto – Estação da Campanhã – pelas 9h00)

IMPORTANTE:  É necessário inscrição prévia (lotação na camioneta limitado) FAZER AQUI

 *O ciclo “Sketching com História” faz parte do Projecto “Alto Minho 4D-Viagem no Tempo” promovido pelo CIM que se associa ao Programa de comemorações do Ano Europeu do Património Cultural em Portugal

Desenho de Eduardo Salavisa. Largo do Terreiro. Caminha

Mais uma tarde de surf

Os miúdos  têm surf aos sábados. Dependendo das marés pode ser de manhã ou de tarde. Ontem foi à tarde. A rotina é sempre a mesma : Vestir o fato (os pais ajudam) prender o cabelo, escolher a prancha e curtir as ondas. Por vezes há pequenos acidentes mas tudo de fácil resolução e sempre com muito boa disposição. E quando o professor pergunta aos pais se também querem fato fica perfeito. Ontem foi um desses dias. Depois dos desenhos feitos vesti o fato e segui mar a dentro. Bem não realidade fiquei à beirinha na espuma. Surf não fiz. Estive a treinar várias formas de cair. Será que há cadernos para desenhar na água?



Praia da Vagueira

 «A praia ganhou a batalha e o mar ficou mais azul, rugindo condescendente.»

Largo Machado de Assis


Para estrear a minha participação neste blogue, vou revisitar a minha "carreira" como urban sketcher, provavelmente iniciada antes de existir a designação do movimento, e toda a dimensão que ele hoje tem. Um pouco mais à frente, a localização do atelier em que trabalho. Arquitecto me acuso. Até breve.

3 desenhos

No "Vamos desenhar com..." com a Ana e o Mário Crispim. Feito a partir dos Terraços do Carmo.

No colóquio "Desenhar em Viagem. Sete Percursos" na Universidade de Coimbra, Departamento de Arquitectura. Seis arquitectos e eu a falarmos de desenhos feitos em viagem.

No dia seguinte na Praça 8 de Maio em Coimbra, desenho feito a partir de um nível mais elevado.

Panorâmica do Parque da Nações

Fazer esta panorâmica, com as orientações do Pedro Alves, foi uma experiência enriquecedora, abrilhantada pela maravilhosa manhã fria e luminosa que tivemos a sorte de apanhar.

O Pedro está de parabéns pelo sucesso dos seus workshops na Expo!




Vamos desenhar com...

A Ana e o Mário Crispim fizeram uma apresentação muito interessante do seu percurso! Como andam sempre a desenhar juntos (após uma fase em que o Mário pensava só querer fotografar... :) ), o desafio lançado foi a formação de pares e posterior escolha do local a desenhar (uma negociação amigável, claro), assim como o empréstimo de materiais.
O meu par foi a Paula Cabral: aceitei desenhar os capitéis e surripiei-lhe a caneta "apaga erros" e a grafite aguarelável. Embora não goste muito do resultado final, foi fantástico desenhar com a  Paula!
Desenhar em conjunto é incomparável!
Obrigada, Ana, Mário e Paula!


Desenhar com Ana e Mário Crispim

Foi muito interessante saber do percurso  da Ana e do Mário e dos sítios que foram importantes para o seu desenho em "Diário Gráfico"! Depois fui desenhar com a Isabel Braga o elevador de Santa Justa e partilhámos materiais.

Acesso Cultura


Partilho convosco o registo de um debate que vi na Fundação José Saramago, sobre a capacidade do Design de Comunicação atrair novos públicos para os eventos culturais. Além de tentar representar a maioria dos presentes, com proporções sempre duvidosas, deixei alguns dos argumentos que ouvi.

Vamos desenhar com Ana e Mário Crispim


Foi uma tarde para lembrar. Podia ser a cidade a surpreender-nos com mais recantos para desenhar, mas foi muito mais do que isso: foram a Ana e o Mário Crispim a pedir que formássemos pares para desenhar. Assim conheci a Graça: escolhemos desenhar o largo da igreja de São Roque e mal sentimos o tempo a passar.


A responsabilidade do desafio é grande, depois de termos visto desenhos tão inspiradores. Mais do que a Casa Roque Gameiro, em Minde, cuja imagem se tornou familiar, vimos as mais belas paisagens urbanas, registadas com a mão minunciosa e sempre atenta do casal de sketchers que nos recebeu. 


No fim, há sempre tempo para desenhar um bolo de chocolate... ou o que resta dele!

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Espessura do Tempo

BUNKER fica em Cebolais, perto de Castelo Branco.
É um bar com grande presença cultural no domínio das artes plásticas e performativas mas, quando lá chegámos ao fim da tarde, estavam a dar futebol.


Foram "todos" desenhar com a Ana e o Mário Crispim


Não deixa de ser cómico que não tenha estado lá, mas que venha aqui publicar a foto de grupo do que me constou ter sido um espectacular "Vamos desenhar com..." Ana e Mário Crispim. Estive convosco em espírito! :)

O Mário enviou-me a foto comentando ser a foto de grupo "dos resistentes". Sendo assim venho aqui partilhá-la e imaginar que se estes são os resistentes significa que devem ter ido "todos"...

Falta o gato Nuno na foto...

O desafio foi giro, não foi?
:D





Lanche ao fim da tarde

Uma torrada, um chá e um desenho... Uma boa forma de começar o fim de semana! Que seja bom para todos e muito desenhado!


Casa Roque Gameiro- azulejos


Durante o encontro com o grupo dos FS2 na Casa Roque Gameiro, fiz o esboço do padrão dos azulejos que existem na sala de jantar, completando e pintando o desenho em casa. , 

CHPL Alfama Rua de S. Paulo



sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Espessura do Tempo

"Cultura Vibra", uma organização da CM Castelo Branco (obrigado Carlos Matos).
Curta paragem em Monforte da Beira, para desenhar a Torre do Relógio e a Torre da Igreja.

Espessura do Tempo_parte IV

Já se aproximava da hora de almoço, mas ainda assim decidimos parar para conhecer mais uma aldeia - Sarzedas. Assim que parámos, o Carlos foi logo reconhecido. Rapidamente fomos convidados por um café oferecido por sum senhor muito simpático. Enquanto que esperava à porta do café, saiu um desenho, rápido, mas o suficiente para registar o momento.


Ainda houve tempo para mais dois registos, em jeito de andamento. As cores foram dadas mais tarde.


Esticámos a corda e fizemos uma nova paragem - Escalos de Cima
O desenho à esquerda é de uma casa construída no início do séc. XX, propriedade de um emigrante brasileiro, que voltou do Brasil cheio de dinheiro. Esteve abandonada até há uns anos atrás quando foi adquirida por um "novo milionário".

O Desenho à direita foi a caminhar em direção à igreja.


Andava frustrado por não conseguir desenhar o castelo. No último almoço tinha de conseguir lugar com vista para o castelo. Foi só uma nesgazinha, mas deu para o gasto.

Foram dois dias extraordinários. Fico com uma enorme dívida de gratidão à organização, mas sobretudo ao Carlos Matos. Até breve Castelo Branco




Praça de Milano Centrale

07.06.17 Milão, Itália
https://www.ceudebaunilha.com

Grão a grão...

Oiço muitas vezes "Não tenho tempo" como desculpa para não se desenhar. Para mim ter mais ou menos tempo implica a escolha da temática do desenho mas, o "não desenhar",  não é encarado como opção. Se tenho duas horas sou capaz de me aventurar a desenhar o Convento de Mafra. Se tenho poucos minutos desenho pessoas. As pessoas mexem-se. Não vale a pena estar com grandes rodeios. Se captaste captaste. Se não passas para o próximo. Esta serie de desenhos foi feita no mesmo café em vários dias, logo pela manhã, antes de ir trabalhar, enquanto bebia o meu café. Nalguns dias preenchi uma dupla página. Noutros, que estava sem tempo, desenhei um pessoa (1 minuto). Assim há paginas que têm várias pessoas desenhadas em dias diferentes. Estes minutos são para mim sagrados porque me sinto mais confiante para começar o dia de trabalho.

Jardim das Necessidades